Segunda-feira, 22 de Novembro de 2004

Depoimento 21 : Obrigada Mãe !

O texto abaixo foi hoje colocado como comentário ao depoimento 12, publicado em Outubro ( ver arquivo no lado esquerdo do Blog ) e intitulado " O sofrimento de quem está ao nosso lado". Achei conveniente destacá-lo aqui na primeira página:

«Boa tarde:

Estive a ler estes dois e-mails enviados por uma familiar de um doente com hepatite c e quero dizer que:

1º dramatizar a situação ainda é pior.

2º o doente muitas vezes nem tem consciência que mudou tanto... mesmo a nível de personalidade

3º se se quizer ajudar mesmo é necessário não dar muita importância às variações de humor do doente pois este necessita é de apoio moral mas não é como se estivesse a morrer.

Enfim, eu tenho 23 anos e com 20 anos descobri que era portadora do vírus da hepatite c, fui infectada por uma seringa quando era toxicodependente desde os meus 16 aos 18 anos. Felizmente não apanhei SIDA pois o vírus tem uma resistência muito menor ao ar livre. Quando descobri que tinha esta doença entrei em pânico (como a maioria das pessoas que não têm qualquer tipo de informação relacionada com esta doença). Fiz a biópsia e começou-se a ver qual o genótipo do vírus e qual o tratamento mais adequado para mim. Tive sorte em ser mulher (pois aparentemente as mulheres têm uma hipótese de cura maior que os homens) mas o genotipo era o mais raro. Comecei a fazer o tratamento e nunca deixei de trabalhar nem de ter vida por isso, claro que me fui bastante abaixo a nível físico (emagreci 8 quilos em 1 mês) e psicológico, tive ataques de pânico e sentia a minha pele muito seca e sensível, como tinha tido uma depressão um ano antes ainda me fui um pouco mais a baixo. o que assustou mais foi a queda de cabelo pois o tratamento é parecido com a quimioterapia em termos de efeitos secundários, mas o cabelo só caiu mais nos primeiros 2 meses, comecei logo um tratamento contra a queda e felizmente parou de cair. Senti-me deprimida e o pior eram os sonhos com a febre que tinha, pois para se sentir menos os efeitos secundários durante o dia tomava a injecçao à noite e tinha um sono muito perturbado, mas só pensava que me estava a curar e levei o tratamento sempre com optimismo mesmo sendo uma pessoa pessimista por defeito. Mas o que interessa é que é complicado mas não é o fim do mundo e as pessoas só têm k levar as coisas com naturalidade. E um conselho aos familiares, não tentem forçar a pessoa a fazer seja o que for ou a comer seja o que for pois o nosso humor só nos permite fazer aquilo que nos apetece (pouco mas apetece), não dramatizem e não pressionem, nem incitem a discussões pois nós nessa altura estamos muito susceptíveis a tudo e precisamos de apoio e não de críticas de comportamento pois não temos controlo sobre as nossas emoções.
Hoje passado 2 anos do tratamento ainda estou negativada, fiz análises o mês passado e está tudo normal. Aos seis meses fiquei negativada e até agora o vírus não reincidiu e espero que não reincida mais, só tenho que fazer análises de ano a ano e fiquei muito contente por saber que ainda estou negativada passado um ano sem fazer análises.

Deixo aqui este meu testemunho e espero que dê ânimo a todos aqueles que estão a fazer ou iniciaram o tratamento há pouco tempo ou até mesmo àqueles que souberem agora que têm esse vírus. Ah! E mais importante, aos companheiros dos doentes o vírus só se transmite por sangue, a nível sexual só se houver algum vaso sanguíneo que se rompa, mas basta usar preservativo! Não deixem de amar os vossos companheiros por estes terem HC, pois só por ignorância é que o irão fazer. Digo isto pois na altura aconteceu que o meu companheiro deixou de querer ter sexo comigo e isso deixou-me muito em baixo... resultado, a relação terminou. Mas hoje tenho uma pessoa ao meu lado que me apoia e que quando soube que eu estava a fazer esse tratamento me apoiou ainda mais com o seu amor e carinho e fez questão de se informar para me poder ajudar. Espero que tenham a sorte que tive :)

Beijinhos! E espero poder ajudar sempre que me for possível!

Contem comigo!

Joana

p.s: quero agradecer à minha mãe! Pois sem ela teria sido muito mais complicado. Ela é que sempre me deu força para continuar e sempre me disse que iríamos ultrapassar tudo juntas e que iria ficar curada. Obrigada Mãe! :) »

publicado por ValNeto às 14:13

link do post | comentar | favorito
|
2 comentários:
De Anónimo a 25 de Novembro de 2004 às 13:14
Brava Joana, voce me fez emocionar.
Que belissimo caminho que conseguiu atingir com sua mae.
Obrigado pela leitura.
Boa sorte em seu futuro.
Abracos da Italia.Guilherme
</a>
(mailto:gapens@yahoo.com.br)
De Anónimo a 24 de Novembro de 2004 às 17:28
Oi Val, hoje divulguei esse site no Retalhos. Espero que as pessoas tomem consciência dessa doença e se previnam. Gostei dos depoimentos que li e das tuas respostas/ajuda. Muito Bem, Val, continua com teu trabalho e siga em frente a fazer tua parte.
Um beijo e obrigada por partilhar conosto tanta informação.anne
(http://www.anne_voce-blogger.com.br)
(mailto:ancembranelli@yahoo.com.br)

Comentar post