Segunda-feira, 25 de Outubro de 2004

Informação importante para quem está a fazer ou vai entrar em tratamento com interferão peguillado

Recebi hoje mais um e-mail do Grupo Otimismo-Br que considerei urgente publicar, mais específicamente para quem actualmente está a fazer ou vai entrar em tratamento com ineterferão peguillado. Aconselho que não deixem de ler o comentário que "traduz" para uma linguagem mais compreensível para nós leigos o seguinte estudo realizado em Itália:

««ESTUDO ALERTA QUE O USO DO INTERFERON PEGUILADO É ASSOCIADO A UMA MAIOR INCIDÊNCIA DE INFECÇÕES

Um estudo realizado pela equipe do Dr. Massimo Puoti, do Departamento de Doenças Infecciosas e Tropicais da Universidade de Brescia, Itália, comparou em 255 pacientes tratados com o interferon convencional e com o peguilado, sempre em combinação com a ribavirina, o risco do desenvolvimento de infecções durante o tratamento.

No grupo tratado com o interferon convencional participaram 103 pacientes e no grupo tratado com o interferon peguilado 152 pacientes.

Em 31 dos pacientes (12 %) foram observadas infecciones relacionadas ao tratamento. A NEUTROPENIA (Neutrófilos abaixo de 1.000 ul.) foi observada numa proporção muito mais elevada nos pacientes tratados com o interferon peguilado (48% vs. 9% dos tratados com o interferon convencional).

Das 31 infecções oito eram infecções respiratórias e só foram observadas em pacientes com neutropenia. Nas infecções não-respiratórias foi observado que as mesmas aconteceram em pacientes que não apresentaram neutropenia, concluindo os autores que o uso do interferon peguilado parece aumentar o risco de infecções não-respiratórias, independentemente da neutropenia.

Fonte: PMID: 15456094 [PubMed - in process]

------------------------------------------------

MEU COMENTÁRIO (Carlos Varaldo):


Lembro a todos que a correta interpretação do hemograma só pode ser feita por um médico, ficando praticamente impossível para um leigo interpretar o conjunto de basofilos, eosinofilos, bastões, segmentados e outros tantos nomes estranhos que fazem parte dos leucócito, sendo que nenhum deles pode ser interpretado isoladamente e sim no
conjunto, coisa difícil de ser feita pelo paciente o qual, ante qualquer valor fora do normal fica apavorado.

Antes do tratamento é recomendável se observar atentamente o nível dos neutrófilos, para que durante o uso do interferon peguilado possa ser possível se saber se o quadro e de neutropenia aguda ou crônica.

A seguir seguem alguns esclarecimentos sobre a neutropenia, com dados do Manual Merck:

“A neutropenia é a quantidade anormalmente baixa de neutrófilos no sangue. Os neutrófilos representam o principal sistema de defesa celular do organismo contra bactérias e fungos. Eles também auxiliam na cicatrização de feridas.

Os neutrófilos geralmente representam até mais de 70% dos leucócitos, uma diminuição do número de leucócitos normalmente significa uma redução da quantidade total de neutrófilos. Quando a contagem de neutrófilos cai abaixo de 1.000 células por ml, o risco de infecção aumenta relativamente; quando cai abaixo de 500 células por ml., o risco de infecção aumenta enormemente. Sem a defesa fundamental dos neutrófilos, uma pessoa pode morrer por uma infecção.

A neutropenia pode ocorrer subitamente, em poucas horas ou dias. A neutropenia não apresenta sintomas específicos, é possível que ela passe despercebida até que ocorra uma infecção. Na neutropenia aguda, uma pessoa pode apresentar febre e úlceras dolorosas em torno da boca e do ânus. Em seguida, pode apresentar pneumonia bacteriana e outras infecções.

O tratamento da neutropenia depende de sua causa e de sua gravidade. Sempre que possível, deve ser interrompida a utilização de drogas que podem causar neutropenia. Os indivíduos com neutropenia grave (menos de 500 células por ml.) podem sucumbir rapidamente a uma infecção, porque o organismo não tem meios para se defender contra os microrganismos invasores. Quando esses indivíduos apresentam infecções, eles geralmente são hospitalizados e recebem antibióticos potentes, antes mesmo da causa e da localização exata da infecção serem identificadas. A febre, sintoma que normalmente indica a presença de infecção num indivíduo com neutropenia, é um sinal importante
da necessidade imediata de cuidados médicos.”

As explicações constantes do Manuel Merck acima descritas mostram que cabe ao paciente monitorar suas sensações, então, se você durante o tratamento sentir febre e tiver elevação da temperatura do corpo ou ulceras dolorosas em torno da boca ou do anus, procure imediatamente o médico, o qual vai solicitar um hemograma para determinar a
causa dos sintomas e realizar o tratamento adequado.

Carlos Varaldo
Grupo Otimismo BR - www.hepato.com»»
publicado por ValNeto às 15:38

link do post | comentar | favorito
|
1 comentário:
De Anónimo a 25 de Outubro de 2004 às 19:06
parabens pela excelente iniciativa de fazer este blogspeak_easy
(http://postas.blogs.sapo.pt)
(mailto:hgf@fdss.op)

Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.subscrever feeds

.posts recentes

. Missa do 7º dia

. Comunicação

. Contactos da SOS HEPATITE...

. A séde da SOS Hepattes es...

. Fibrotest e ActiTest, sub...

. Os direitos dos doentes

. Arranque público da petiç...

. Variações nos níveis das ...

. URGENTE - Importante Noti...

. Colabore com a petição a ...

.as minhas fotos

.as minhas fotos

blogs SAPO