Quarta-feira, 25 de Agosto de 2004

Novos medicamentos na calha para tratamento e re-tratamento

Fonte : Carlos Varaldo - Grupo Otimismo (Brasil) - www.hepato.com

Recebi hoje mais um e-mail do Grupo Otimismo Brasil com importantes novidades. Passo a transcrever parte do e-mail ( excluí assuntos que tem a ver apenas com realidade e a legislação brasileira ) :

"Participei semana passada do Congresso da Sociedade Paulista de Infectologia - SPI realizado na cidade de Santos sobre o qual passo a comentar os itens referentes a hepatite C que mais me chamaram a atenção.

Em relação a novas drogas para o tratamento da hepatite C, o Dr. Barone fez uma completa dissertação mostrando quais são as “candidatas” mais promissoras entre os inúmeros ensaios que estão sendo realizadas no mundo. Duas drogas já se encontram na fase 3 da pesquisa, o que significa que prontamente estarão solicitando registro nas
autoridades da saúde. Uma delas e o IP-501 um medicamento anti-fibrotico que deverá ser empregado para se evitar a progressão do dano hepático em pacientes não respondedores. Outro e o Zadaxim (Thymosin alfa) que poderá ser uma esperança em re-tratamentos e até em tratamentos iniciais.

Na fase 2, ou seja, com boas previsões de êxito, temos uma série longa de drogas, entre elas um interferon oral outorgando maior comodidade ao paciente; um interferon múltiplo humano que poderá oferecer uma resposta superior aos actuais por abranger uma ampla gama de espectros; a Viradimine, uma análogo da ribavirina, porém sem causar anemia; o Maxamine, uma histamina moduladora do sistema imune; o Makrokine, com princípio similar ao Maxamine; o ISIS-14803, um antisense inibidor da replicação do vírus destinado ao tratamento; o BILN-2061 um inibidor da proteases do vírus, muito adiantado nos testes, e, ainda, três vacinas terapêuticas em estudos, a HCV STRUTURAL, a HCV E1 RECOMBINANTE e a HCV EPITOPE PEPTIDES. Como poderão observar, o futuro nos prepara muitas e boas oportunidades. Vamos aguardar com calma porque nenhum destes produtos ainda está disponível para uso ou a venda em qualquer país.

Na discussão sobre Ciência e Tecnologia o pessoal do Ministério as Saúde ( Brasil ) confirmou que em 2005 já teremos o Interferon Convencional fabricado na FIOCRUZ (Fundação Oswaldo Cruz - do Ministério da Saúde do Brasil ) com a tecnologia cubana e que um grupo de cientistas brasileiros e cubanos se encontram estudando uma espécie de peguilação, o que poderá oferecer a oportunidade de se conseguir uma resposta terapêutica igual ao atual interferon peguilado, utilizando tecnologia nacional e com isto baixando o custo do tratamento."
publicado por ValNeto às 19:54

link do post | comentar | favorito
|
2 comentários:
De Anónimo a 25 de Setembro de 2004 às 11:03
estou a procura de novos tratamentos,pois ja fiz todos disponioveisdante caddeo
</a>
(mailto:dantecaddeo@terra.com.br)
De Anónimo a 28 de Agosto de 2004 às 16:10
Pena que cá em Portugal o Ministério da Saúde não siga o exemplo... Prefere insistir na política do avestruz...Obsrvador
</a>
(mailto:)

Comentar post